Conhecendo Verona – a cidade do amor

A viagem a esta altura atingia seu clímax, após alguns dias passados em Roma, Florença e Veneza, tínhamos a sensação de que não haveria mais como melhorar, mas melhorou! Conheça Verona, uma cidadezinha que fica marcada na memória de quem a visita… Iniciaremos a seguir, nosso quarto post da série Itália e Holanda…

Desembarcamos na estação Puorta Nuova de Verona como nossas malas e resolvemos pegar um táxi até o hotel. Afinal de contas, Verona é mais uma charmosa cidade italiana que dá para percorrê-la tranquilamente a pé. E lá fomos nós… Feito check-in no hotel, seguimos para nosso almoço e passeio.

Tudo tão pertinho que dá para passear por toda Verona a pé...

Tudo tão pertinho que dá para passear por toda Verona a pé…

Muitos preferem visitar a cidade num estilo bate-e-volta de Veneza ou Milão, nós escolhemos passar uma noite e curtir um pouquinho mais do que a cidade tem a oferecer, e acertamos em cheio…

Veja o nosso roteiro de dois dias por uma das cidades mais românticas da Itália:

Assim como muitos viajantes, também iniciamos o passeio pela praça central da cidade, a Piazza Brá. Esta linda praça reclama ser a maior do país.

Piazza Brá, uma grande e movimentada praça - nosso ponto de partida

Piazza Brá, uma grande e movimentada praça – nosso ponto de partida

Nela que se encontra o Anfiteatro Romano, ou Arena, construído há dois mil anos atrás e que mantém-se bem preservado, sendo palco de grandes concertos de música até hoje. Ele comportava até 30 mil pessoas nos tempos antigos, que vinham de todos os lugares, até de regiões distantes para os jogos… Vale a pena entrar e admirar sua imponência e conservação, mas se não tiver tempo, a vista de fora já dá para sentir a importância deste monumento.

A Arena de Verona - um grande espaço que ainda serve para grandes espetáculos.

A Arena de Verona – um grande espaço que ainda serve para grandes espetáculos.

Bem na entrada norte da praça há a Puorta Borsari e a Torre Pentagonal, que fazem parte das antigas muralhas construídas por Gian Galleazzo, com inscrições do ano de 265 d.C. Sem dúvida uma bela muralha.

A Puorta Borsari e a Torre Pentagonal, marcando a entrada a Piazza Brá

A Puorta Borsari e a Torre Pentagonal, marcando a entrada a Piazza Brá

Almoçamos em um dos inúmeros e deliciosos restaurantes da praça, precisávamos de uma deliciosa massa italiana para recarregar as baterias…

Seguimos pela Via Mazini, uma alameda cheia de lojas que muito nos faziam interromper o passeio para olhar algumas coisinhas… Aviso aos marmanjos: mulherada fica louca aqui, tenham muita paciência…

A disputadíssima Via Mazzini em pleno domingo, um lugar onde a muralhada perde o controle...

A disputadíssima Via Mazzini em pleno domingo, um lugar onde a mulherada perde o controle…

Chegamos ao final desta e, virando a direita, pega-se a Via Cappello, chegando-se a atração mais famosa de Verona, a Casa da Giulietta. Dá para perceber sua fama devido à multidão que se encontra desde seus portões até o pátio da casa.

Entrada bem tumultuada para a Casa de Giulietta.

Entrada bem tumultuada para a Casa de Giulietta.

O casal mais famoso da Itália pertence a uma obra de ficção inglesa… Estamos falando de Romeo e Giulietta (é com G mesmo), um romance trágico que se passa em Verona, imortalizados por Shakespeare. Engraçado é saber que diante de tanta fama, apesar de nunca terem existido, os veroneses criaram a Casa da Giulieta, a Casa do Romeo e o Túmulo da mesma!!! Retirando a parte do business, a cidade toda respira o amor por conta deles…

O famoso balcão de Giulietta, onde Romeo se escalava para declarar seu amor...

O famoso balcão de Giulietta, onde Romeo escalava para declarar seu amor…

No pátio podemos ver a sacada da donzela, (tirar foto dela sem um turista nela é uma missão quase impossível) a qual Romeo tinha que escalar e declarar seu amor. Por conta do filme Cartas para Julieta, muitos acreditam que há locais para colocar cartas de amor nos muros, não o achamos, mas há um lugar para declarar seu amor escrevendo no muro ou colocando um dos famosos cadeados do amor em um de seus portões.

Pausa para registrar nosso coração nos muros da Giulietta.

Pausa para registrar nosso coração nos muros da Giulietta. Não consegue ver?

Também há uma estátua da mesma no pátio, tirar foto ao seu lado é outra missão mais difícil ainda. Todos querem tocar seu peito para ter sorte no amor… Como já tive essa sorte, não precisei tocá-la…

Seguimos para a Piazza Indipendenzia, um refúgio no meio da turistada, onde fica o monumento a Gisuseppe Garibaldi, o mesmo que você está pensando…

Garibaldi no centro da Piazza Indipendenza em Verona. Um importante personagem da história Italiana e Brasileira.

Garibaldi no centro da Piazza Indipendenza em Verona. Um importante personagem da história Italiana e Brasileira.

Aproveitamos para sentar em um dos bancos da praça e observar as pessoas relaxando no domingo a tarde. Como gostamos desse estilo de vida europeu! Quem dera pudéssemos no Brasil sair num domingo a tarde com um livro ou uma cesta piquenique para uma área verde e descansa, sem qualquer preocupação…

Muito bom descansar em um domingo a tarde numa Piazza dessas.

Muito bom descansar em um domingo a tarde numa Piazza dessas.

Levantamos após descansar as pernas e seguimos para a Piazza dei Signori, onde pudemos ver o Palazzo della Ragione e a Scalla della Ragione, com a Torre Lamberti. No centro da praça há uma estátua do famoso Dante Alighieri.

Dante Alighieri apareceu novamente, na Piazza dei Signori de Verona.

Dante Alighieri apareceu novamente, na Piazza dei Signori de Verona.

Dali, seguimos para a mais charmosas das praças de Verona, a Piazza delle Erbe (Praça do Mercado). Rodeada por edifícios históricos, alguns da época medieval. Com alguns cafés com tendas para uma refeição na calçada. Há uma coluna com um símbolo da República de Veneza – o leão alado.

Piazza delle Erbe, um lugar especial no centro de Verona.

Piazza delle Erbe, um lugar especial no centro de Verona.

Chegando ao Rio Adige, fomos beirando-o pela Riva San Lorenzo, sem dúvida uma linda vista do rio, até chegar ao Corso Cavour e enfim, na Piazzeta Castelvecchio. Nesta pracinha encontra-se o Arco de Gavi, construído originalmente no século I d.C. Uma curiosidade sobre o mesmo, quando as tropas de Napoleão invadiram Verona, destruíram o Arco, mas conseguiram reconstruí-lo com as peças originais. Também deve-se observar as pedras do pavimento original da era romana, assim como as da Via Sacra de Roma. Incrível a sensação de pisar no mesmo calçamento que os moradores de dois mil anos atrás…

O Arco de Gavi e as pedras de pavimento da época do Império Romano

O Arco de Gavi e as pedras de pavimento da época do Império Romano

As pedras de Pavimento da época do Império Romano. Emoção pisar no mesmo calçamento de dois mil anos atrás...

As pedras de Pavimento da época do Império Romano. Emoção pisar no mesmo calçamento de dois mil anos atrás…

Visitamos nossa última atração do dia, o imponente Castelvecchio. Um castelo de 1345 que teve uma história bem turbulenta. Já foi residência, arsenal, prisão, abandonado e posteriormente reformado para se tornar um museu até hoje! Pudemos observar como era um castelo do feudalismo e andar sobre suas muralhas.

Castelvecchio, um castelo do Feudalismo igualzinho aos livros de história...

Castelvecchio, um castelo do Feudalismo igualzinho aos livros de história…

Vista interna de uma das áreas do Castelvecchio

Vista interna de uma das áreas do Castelvecchio

Uma incrível vista do Rio Adige e de toda Verona se tem deste lugar… Em dias abertos dá para ver até os Alpes Suíços, que não ficam muito longe dali… Também pudemos observar obras de Tintoretto, Veronese, Giovanni, Pisanello e Belinni. Um lugar encantador que deixará saudades.

Os Alpes Suíços podem ser vistos do Castelvecchio em dias abertos.

Os Alpes Suíços podem ser vistos do Castelvecchio em dias abertos.

Já a Ponte Scaligero, não deixa de ser por si só uma obra de arte a céu aberto, trata-se de uma ponte com três arcos desiguais que servia de passagem do castelo ao outro lado do rio, podia ser usada para fuga, em caso de invasão de Verona.

Ponte Scaligero, uma bela e incomum ponte sobre o Rio Adige.

Ponte Scaligero, uma bela e incomum ponte sobre o Rio Adige.

Após um descanso, no dia seguinte acordamos com todo gás para curtir o último dia de Verona, saímos andando até atravessar o Rio Adige e visitamos o Giardino Giusti. Considerado um dos mais belos jardins de toda Europa. Não poderíamos deixar de visitá-lo…

Giardino Giusti, um jardim particular considerado um dos mais belos de toda Europa...

Giardino Giusti, um jardim particular considerado um dos mais belos de toda Europa…

Muito verde, flores, fontes, encantam todos que passam por lá. O jardim é pequeno, mas muito bem planejado. Até labirinto de arbustos há no lugar… Descansamos na alameda de ciprestes sob a sobra do cipreste mais alto, no qual Goethe também ficou horas meditando. Lá no topo da colina há o Mascherone, uma máscara de três metros de comprimento, com a cara de um monstro, de onde saiam línguas de fogo da boca. Sobre ele está o Belvedere, ou mirante, de onde se pode admirar toda a cidade – e que vista!!!

A alameda de ciprestes e Il Mascherone lá no alto...

A alameda de ciprestes e Il Mascherone lá no alto…

Os jardins planejados ficam na planta baixa e lá na planta alta, onde fica o mirante, está um bosque selvagem com plantas exóticas. A vontade que dava era de ficar de vez por lá…

Um labirinto de arbustos em pleno jardim...

Um labirinto de arbustos em pleno jardim…

Seguimos pela Via Santa Chiara até chegar ao rio novamente, ao lado fica o Teatro Romano, lugar que estava em reforma e fechado para visitas, infelizmente.

Seguimos o passeio, voltando para o centro ao cruzar a Ponte Pietra, a própria ponte é uma das atrações de Verona. O motivo é que a mesma é a única ponte do período imperial romano ainda de pé. Na segunda guerra mundial quatro de seus cinco arcos foram destruídos, mas anos mais tarde foram reconstruídos usando os materiais originais que foram retirados do rio. Daqui se tem um linda vista das casas coloridas de Verona…

Ponte Pietra sobre o rio Adige e o colorido de Verona - história de milhares de anos.

Ponte Pietra sobre o rio Adige e o colorido de Verona – história de milhares de anos.

Seguimos caminhando até chegar ao Duomo de Verona, a Catedral Santa Maria Matricolare, um edifício bem diferente do seu original, mas de origens desde 1120. No avançar da hora, fomos para Piazza delle Erbe para um agradável almoço. Feito o check-out era hora de pegar as malas e seguir para a Estação Puorta Nuova, pegar o trem para Milão.

Uma cidade romântica, mas que consome energia... Para recarregar as baterias é só visitar seus inúmeros ristorantes nas calçadas!

Uma cidade romântica, mas que consome energia… Para recarregar as baterias é só visitar seus inúmeros ristorantes nas calçadas!

Mesmo sendo um conto, o amor entre Romeo e Giulietta tornou-se real nos corações de tantos casais que visitam essa charmosa cidadezinha italiana. Não há como não sentir que o “Amor está no ar” neste lugar – o que fez desse passeio algo inesquecível e que recomendamos muito que incluam em seus roteiros. Finalizamos este doce post com um lindo  coração para você, que o leu até o final…

Um coração em Verona... Amamos essa cidade.

Um coração em Verona… Amamos essa cidade.

 

Não deixe de continuar nossa aventura com o Post sobre Milão, pois com certeza mais emoções aguardam… Até lá!
 
 
Confira também a série de posts já publicados da Série Viagem à Itália & Holanda:
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários sobre “Conhecendo Verona – a cidade do amor

  1. Pingback: Roma: algumas atrações imperdíveis - Já fomos

  2. Pingback: O que ver em Milão - um susto e suas maravilhas - Já fomos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: