O melhor museu de Nova York – o MET

A cidade de Nova Iorque tem sido um grande atrativo para os brasileiros que querem viajar para fora do país. Muitos vão para lá incentivados por um desejo: Compras e mais compras! Apesar de fazer sim muitas comprinhas, nós nos enquadramos mais em um outro tipo de viajantes, os que querem consumir exageradamente algo um pouco diferente: cultura. Simplesmente adoramos entrar em um museu e vasculhar cada cantinho e perdemos a hora facilmente dentro deles. A cidade tem opções incríveis… Aproveitamos ao máximo os musicais, os museus, os parques e monumentos, os verdadeiros aranha-céus, a gastronomia e as lojas, e cá entre nós: que lojas!!!  Hoje falaremos sobre o melhor museu de Nova York, o Metropolitan Museum of Art, ou MET.

Fachada externa do Metropolitan Museum of Art.

Fachada externa do Metropolitan Museum of Art.

Infelizmente não tínhamos tanto tempo para olhar cada cantinho do mesmo, mas aproveitamos cada segundo das horas que ficamos lá dentro – e como valeu a pena. De qualquer forma, é humanamente impossível conhecer seu acervo em apenas uma visita, são mais de 3,5 milhões de obras de arte de todos os cantos do mundo e ao longo dos séculos…

Liberty. Frédéric-Auguste Bartholdi. 1875.

Liberty.
Frédéric-Auguste Bartholdi. 1875.

Sem contar o belíssimo prédio… Ao mesmo tempo apresenta uma fachada histórica por dentro é todo moderno.
Abrangendo 10 mil anos de história e cultura da humanidade, seu acervo inclui pinturas, esculturas, objetos de arte e decoração, fotografias, mobílias, desenhos e muito mais. Foi criado em 1870 por um grupo de artistas e filantropos para competir com os grandes museus europeus, encontra-se em pleno Central Park, na 5th Avenue entre as ruas 80 e 83.
A visita foi incrível!!! Foram quase 5h de arrepiar, em um dia frio e chuvoso aproveitamos para nos surpreender com uma vasta coleção de incríveis obras de arte.
Muitas obras para encher os olhos... Vale muito a pena deixar as compras para uma visitinha ao museu...

Muitas obras para encher os olhos… Vale muito a pena deixar as compras para uma visitinha ao museu…

O museu cobra um preço simbólico de $20,00 mas você pode pagar menos se quiser, é só chegar com o valor e pedir “One ticket, please” e entregar o quanto você deseja contribuir. Nós escolhemos comprar o ingresso do New York Pass que falaremos em outro post, pois valeria muito mais a pena – pelas nossas contas – ainda mais que não precisaria enfrentar filas gigantes nas atrações.
Começamos pela entrada principal ou The Great Hall, onde compramos nosso NY pass e iniciamos a jornada.
The Great Hall - o salão de entrada. Dá para ver como a fila é enorma para compra de ingresso na hora... Valeu a pena comprar o NY Pass - as filas deste são mínimas...

The Great Hall – o salão de entrada. Dá para ver como a fila é enorma para compra de ingresso na hora… Valeu a pena comprar o NY Pass – as filas deste são mínimas…

Arte européia:
Perambulando por estas salas, encontramos uma das artes que mais admiramos em todos museus que já fomos: a arte européia. Esculturas, pinturas e objetos de arte decorativa nos encantaram muito.
Cupido e Psiquê - Antônio Canova 1757-1822. Existem mais duas esculturas deste autor, vimos outra no Louvre e só falta ver outra em Moscou.

Cupido e Psiquê – Antônio Canova 1757-1822.
Existem mais duas esculturas deste mesmo tema pelo autor –  vimos outra no Louvre e só falta ver a de Moscou.

Só de pinturas européias há mais de três mil obras de incalculáveis valores.
Itália tem seus representantes como Rafael, Boticelli, Ticiano, Veronese, Tintoretto.
Espanha está bem representada com Velasquez, Goya, El Greco.
Holanda com Rembradt e Veermer.
Impressionismo e pós impressionismo nos encantam muito, por isso não poderiam faltar telas de Monet, Cezánne e Van Gogh, o último está no segundo andar com o quadro “Os ciprestes”.
Prepare seus queixos para a opulência das salas de época mobiliadas ricamente. Daquelas salas com muito ouro, sedas e fru-frus por metro quadrado… Maior que isso, só no Palácio de Versalhes, e o Louvre também…
Exemplo de ambientes de época europeus. Muito luxo em um lugar só...

Exemplo de ambientes de época europeus. Muito luxo em um lugar só…

Ala Americana:
Um pouco diferente dos outros museus que já visitamos, encontramos aqui muitas telas e objetos da história e cultura norte-americana. Salas ambientadas, como as européias, esculturas e pinturas também enchem os olhos.
Destaque para pintura, temos Washinghton cruzando o Delaware, de Leutze.
Washinghton cruzando o Delaware - de Leutze Famosa, imponente e importante obra norte-americana.

Washinghton cruzando o Delaware – de Leutze
Famosa, imponente e importante obra norte-americana. Para ter noção do tamanho da tela, veja a cabeça de uma visitante no canto direito da foto.

Para esculturas, um show à parte é o pátio interno com várias esculturas (o Charles Engelhard Court) abriga duas esculturas que mais nos chamaram atenção, os três ursos (Group of Bears) de Paul Manship e a Diana de Saint-Gaudens. Destaque maior ainda para uma fachada inteira de um banco de 1924 (United States Bank) retirado de Wall Street. Também abriga um café para os famintos recarregarem as baterias.
Diana - Augustus Saint-Gaudens. 1928.

Diana – Augustus Saint-Gaudens. 1928.

Group of Bears - Paul Manship. 1939. Infelizmente não temos fotos sem o quarto urso na frente...

Group of Bears – Paul Manship. 1939.
Infelizmente não temos fotos sem o quarto urso na frente…

Arte Medieval:
Quer ver um pouco de história medieval, cavaleiros, reis e rainhas, o poder da Igreja Medieval, arquitetura, esculturas e muitos vitrais? Este museu não deixa a desejar, tem de tudo um pouco!!!
Ala Medieval, você atravessa um portal imenso dentro do salão principal...

Ala Medieval, você atravessa um portal imenso dentro do salão principal…

Destaque para as armaduras de cavaleiros medievais e seus cavalos, até parece que tem alguém dentro delas!!!
Cavaleiros medievais, vai encarar???

Cavaleiros medievais, vai encarar???

Vitrais medievais... de encher os olhos...

Vitrais medievais… De encher os olhos…

Quer mais de arte medieval? É só ir visitar o Cloisters, uma extensão do MET um pouco distante que infelizmente não pudemos visitar.
Arte greco-romana:
Aqui você encontra obras de arte de 900 a.C. até século IV d.C. Muitos dos famosos vasos gregos podem ser vistos aqui.
Além destes, muitas esculturas são de impressionar. Destaque para este sarcófago romano de mármore que foi feito para um cliente muito rico.
Sarcófago de mármore com o trunfo de Dionísio e as estações. Roma. 260-70 d.C

Sarcófago de mármore com o trunfo de Dionísio e as estações. Roma. 260-70 d.C

O maravilhoso Egito Antigo:
Sem dúvida este é o clímax do museu e a seção que mais nos surpreendeu. Hoje é considerada uma das melhores coleções egípcias fora do Egito – disputa ferreamente com o Museu do Louvre.
Inúmeras esfinges, esculturas, múmias, sarcófagos e até um templo está dentro do museu!!!
A encantadora ala egípcia... Uma das maiores coleções egípcias fora do Egito.

A encantadora Ala Egípcia… Uma das maiores coleções egípcias fora do Egito.

Estamos falando do Templo de Dendur. Uma magnífica construção de arenito de 15 a.C., dedicado a Ísis, Osíris e Hipócrates. O Templo foi doado pelo governo egípcio para o EUA devido ao apoio internacional que deram para salvar outros monumentos importantes de alagamentos que seriam causados pela construção de uma hidroelétrica na região da Núbia.
Outro país que visitamos que recebeu um templo egípcio é a Espanha. Em Madri há o Templo de Debod que também foi doado pela ajuda que ofereceram ao Egito.
Templo de Dendur - um templo egípcio dentro de um museu!!! O Louvre não tem um desses...

Templo de Dendur – um templo egípcio dentro de um museu!!! O Louvre não tem um desses…

Templo de Dendur - interior. Detalhe para a peça: God's Wife Tagerem (300–250 B.C.) e as inscrições nas paredes.

Templo de Dendur – interior. Detalhe para a peça: God’s Wife Tagerem (300–250 B.C.) e as inscrições nas paredes.

Outras alas:
Ainda há alas de Oceania, Africa e Americas, de instrumentos musicais, de arte e cultura oriental, de roupas e vestuários, de arte islâmica, enfim, é muita coisa para uma visita só e muita coisa para um post só…
História e Obras da África também se encontram no MET.

História e Obras da África, Oceania e Américas também se encontram no MET.

Eles ainda possuem uma magnífica loja que vende livros, posters, artigos de decoração, jóias, dentre outras coisas baseadas em seu acervo. Vale a pena nem que seja para admirar as coisas à venda, tem produtos para todos os bolsos.
Ugolino e seus filhos. Jean baptiste Carpeaux. 1865-67. Vimos a mesma obra que o artista fez em bronze no Museu do Orsay em Paris. Essa escultura ilustra o livro  O Inferno de Dante, no qual Ugolino é condenado a comer seus filhos numa prisão em Pisa.

Ugolino e seus filhos. Jean baptiste Carpeaux. 1865-67.
Vimos a mesma obra que o artista fez em bronze no Museu do Orsay em Paris. Essa escultura ilustra o livro O Inferno de Dante, no qual Ugolino é condenado a comer seus filhos numa prisão em Pisa.

E não diferente de outros museus, vimos um artista desenhando diante de obras grandiosas... Detalhe para o desenho - isso não é só técnica, é dom!!!

E não diferente de outros museus, vimos um artista desenhando diante de obras grandiosas…
Observe o desenho – isso não é só técnica, é dom!!!

O fator que limitou nossa visita ao lugar foi algo muito primitivo que acompanha o ser humano desde os primórdios: a fome… Assim, este homem e sua companheira partiram para a busca de alimento… Não deu certo…. Tentamos entrar na fila para conseguir uma vaga no café Petrie Court (naquele pátio das esculturas que já falamos) e desistimos, estávamos com estômagos rugindo e perder uma hora em uma fila para lanchar não estava em nossos planos… Assim, andamos mais um pouco pelas alas do MET, talvez inconformados pelo tempo ter se esgotado, e fomos lá fora, à procura de alimento na grande selva de pedra… Uma maravilha do mundo moderno é a comida em uma cidade tão cosmopolita, a cada esquina encontrávamos uma cozinha especial, portanto, não foi difícil achar, mas vamos deixar isso para um outro post, não?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário sobre “O melhor museu de Nova York – o MET

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: