Passeando pelos Jardins del Retiro de Madrid

Deveria ser lei! Toda cidade grande deveria ser obrigada a ter vários refúgios verdes em seu meio… Cansamos muito de bater perna em meio a ruas e avenidas de concreto, vidro e aço, nós sempre escolhemos um tempinho da nossa programação para descansar os olhos e as pernas em uma área verde. Nova Iorque, Paris e Londres não deixam a desejar com seus belos parques (Central Park, Jardim de Luxemburgo e Hyde Park, respectivamente), mas há um lugar que muito nos chamou a atenção  por sua beleza, em pleno centro de Madrid – O magnífico parque del Retiro de Madrid.

Detalhe para a entrada perto da Puerta de Alcalá. Precisa falar mais alguma coisa?

Detalhe para a entrada perto da Puerta de Alcalá. Precisa falar mais alguma coisa?

Não sei se foi a época que visitamos que o deixou como um espetáculo para nossos olhos, mas confesso que o outono europeu é uma das nossas estações preferidas, talvez isso tenha contribuído ainda mais para gostarmos tanto de lá… Folhas verdes, amarelas, alaranjadas, vermelhas, vinho e marrons enchem nossos olhos com um colorido todo especial!!!

Apaixonamos por esse cantinho de Madrid. Jardim del Retiro.

Apaixonamos por esse cantinho de Madrid. Jardim del Retiro.

Foi entre 1630 e 40 que o jardim teve seu início. O duque de Olivares doou o terreno para o rei Espanhol Filipe IV pra tornar-se uma área de lazer para a família real, sendo construído ali o Palácio do Bom Retiro e toda área em volta deste se tornou o Jardim Real.

Este jardim foi exclusivo da monarquia até quando o rei D. Carlos III em 1868 permitiu visitação pública, mas só se os visitantes estivessem bem limpinhos e apresentáveis!!!

O palácio e os jardins foram praticamente destruídos com a invasão dos franceses em 1808, onde ficaram instaladas as tropas francesas de Napoleão. O jardim foi todo refeito e resta apenas dois vestígios originais do palácio, o Museu do Exército e o Casarão do Bom Retiro.

Uma imensa área de muito verde e tranquilidade...

Uma imensa área de muito verde e tranquilidade…
Vale a pena dar uma passadinha por lá…

Após a revolução de 1686 o jardim foi municipalizado e teve suas portas abertas a todos. Ele é imenso, e como o tempo é sempre um inimigo de turistas como nós, assim, tentamos ver o máximo possível em uma tarde, e olha que ainda tínhamos que ir ao Museu Reina Sofia, pertinho do parque… Recomendamos ir com mais tempo para poder aproveitar bastante…

Segue agora uma sugestão de percurso, o mesmo que percorremos, que serve como dica para seu passeio:

 1 – Puerta de Alcalá

Inicie aqui o seu passeio. Este monumento famoso de 1778 fica na Plaza de la Independencia e não pertence ao parque. Feito por Fernando Sabatini, consiste em duas portas retangulares ao lado de três arcos centrais. Construído durante nove anos, é feito de granito da serra madrileña. Feita em homenagem à chegada do rei Carlos III e marcava o limite ao leste da cidade de Madrid naquela época.

Puerta de Alcalá - um lindo monumento em Madrid. Visite-o, se possível, também à noite, quando fica todo iluminado.

Puerta de Alcalá – um lindo monumento em Madrid. Visite-o, se possível, também à noite, quando fica todo iluminado.

2 – Entrada do Jardim

Siga pelos portões de entrada do parque, você já encontrará um lindo caminho pela frente. Continuando encontrará uma linda fonte: a fonte dos Galápagos. Esta fonte tem esse nome devido às tartarugas em sua base, que em espanhol se chamam galapagos.

Fonte dos Galápagos - linda fonte a qual as tartarugas deram nome. Também faz referencias à Rainha Izabel.

Fonte dos Galápagos – linda fonte a qual as tartarugas deram nome. Também faz referencias à Rainha Izabel II.

Dobre a direita e pegue a Calle Nicaragua. Isso mesmo, o parque está cheio de calles (ruas), inclusive há algumas que automóveis transitam, portanto, cuidado…

3 – O Lago

Agora que você está começando a ter uma sensação de passeio agradável dará de lado a um imenso lago artificial. Lindo demais. Com chance de ver patinhos nadando e pessoas passeando de barquinhos azuis… Se quiser pode alugar um, na margem esquerda do lago…

Vista para o grande lago e o Monumento...

Vista para o grande lago e o Monumento…

4- Monumento Alfonso XII

Este monumento foi construído em 1922. Trata-se de uma coluna de mármore com o monarca em bronze sobre um cavalo em seu topo. É rodeado de uma colunata e muitas esculturas. Inúmeros escultores participaram de sua construção.

Monumento Alfonso XII, imponente e muito bonito. Pare um pouco para admirá-lo e, se tiver disposição, vá para o outro lado observá-lo de perto.

Monumento Alfonso XII, imponente e muito bonito.
Pare um pouco para admirá-lo e, se tiver disposição, vá para o outro lado observá-lo de perto.

Gostamos muito de parar para apreciar a vista, observar o monumento e seu reflexo no lago, as pessoas nos barquinhos, as que caminhavam e os patinhos que nadavam tranquilamente…  Havia também artistas de rua que tocavam instrumentos ou faziam malabarismos para ganhar um trocadinho… Enfim, após absorver um pouco da tranquilidade que o local exalava, continuamos a caminhada…

Os leões na base do Monumento Alfonso XII. Ainda bem que temos lentes para longas distâncias, pois esse ângulo eu não conseguiria lá perto...

Os leões na base do Monumento Alfonso XII. Ainda bem que temos lentes para longas distâncias, pois esse ângulo eu não conseguiria lá perto…

Tivemos um pouco de preguiça para contornar todo o lago e chegar ao Monumento Alfonso XII que dá para ser bem visto do lado que você se encontra, assim não atravessamos para o lado de lá.

5- Paseo Argentina

Bem em frente ao monumento, em suas costas você verá uma outra calle, na verdade, o chamado Paseo Argentina. ou Paseo de las Estatuas. Trata-se de uma alameda dedicada aos monarcas espanhóis. Há inúmeras estátuas destes, que foram feitas originalmente para o Palácio Real de Madrid. Devido a um pesadelo da rainha espanhola, no qual elas cairiam sobre sua cabeça, as estátuas nunca chegaram a habitar o palácio. Outras estátuas foram para outros lugares, inclusive outras províncias com o medo do fim da monarquia – isso que é superstição… Nós só tiramos uma foto geral das estátuas porque ainda tínhamos muito chão pela frente e não dava para admirar uma por uma, se preferir dê uma voltinha pela alameda e retorne.

Paseo Argentina, ou Paseo de las Estatuas. Bela paisagem e uma história curiosa de estátuas rejeitadas devido a um pesadelo da rainha...

Paseo Argentina, ou Paseo de las Estatuas. Bela paisagem e uma história curiosa de estátuas rejeitadas devido a um pesadelo da rainha…

6- Fonte de La Alcachofa

A calle Nicarágua continua com o nome de Paseo República de Cuba, siga nele até a próxima fonte, a Fonte de la Alcachofa, esculpida em 1782 na qual há o escudo de Madrid segurado por um Tritão e uma Nereida (seres mitológicos com corpos humanos e caudas de peixes). A fonte tem esse nome devido a grande Alcachofa no topo, símbolo de fertilidade. Há uma réplica em bronze desta mesma fonte em frente à Estação Atocha, pois ali foi o lugar original desta fonte antes de ser transportada para o Jardin del Retiro.

Fonte de Alcachofa - símbolo da fertilidade. Observe o escudo de Madrid segurado por Tritão e Nereida.

Fonte de Alcachofa – símbolo da fertilidade. Observe o escudo de Madrid segurado por Tritão e Nereida.
Particularmente, adoro fontes e este é um belo exemplar, não?

7- Pausa para um cafezinho

Ao lado da fonte há alguns quiosques. Como estava friozinho, achamos muito bem vinda a opção de adentrarmos lá e tomarmos um chocolate quente, que delícia!!! Se estiver quente, prefira as barraquinhas para um sorvete, ou melhor, helado

8- Palácio de Cristal

Hora de continuar, agora você pegará uma trilha que inicia à esquerda da Fonte Alcachofa e vai adentrando por meio de árvores enormes, (veja no mapa para não errar o caminho). No meio do caminho há o Palácio de Velazquéz, um palácio que serve com extensão do Museu de Arte Reina Sofia, com exposições de  arte Moderna.

Detalhe arquitetura do Palácio de Velazquéz. De encher os olhos.

Detalhe arquitetura do Palácio de Velazquéz. De encher os olhos.

Continue caminhando pois o clímax está chegando: o Palácio de Cristal!!!

Palácio de cristal. Um dos poucos existentes no mundo todo.

Palácio de cristal. Um dos poucos existentes no mundo todo.

Esta estufa, toda de ferro e cristal, foi criada em 1887 para uma esposição de plantas das Ilhas Filipinas. No momento serve como espaço para exposições de arte moderna do Museu de arte Reina Sofía.

Área interna do Palácio costuma abrigar exposisões temporárias de arte Moderna. No dia não havia nenhuma.

Área interna do Palácio costuma abrigar exposisões temporárias de arte Moderna. No dia não havia nenhuma.

Ele fica em frente a um belíssimo lago artificial que, sem dúvida, representou o ponto alto deste passeio. É aqui que aquela explosão de cores do outono se faz como um espetáculo aos nossos olhos. Vale passar um tempão apreciando e tirando muitas fotos.

Lago artificial do Palácio de Cristal, uma explosão de cores em pleno outono...

Lago artificial do Palácio de Cristal, uma explosão de cores em pleno outono…

9 – Fonte do Anjo Caído

Esta fonte desde inaugurada em 1885 foi alvo de polêmicas. Sendo uma das poucas obras na Europa cujo protagonista é o diabo – isso mesmo – ou o anjo caído, representado no momento da expulsão do paraíso. Feita de bronze por um escultor madrilenho Ricardo Bellver.

Fonte do anjo caído - uma fonte polêmica por ser possivelmente a única na qual representa o diabo.

Fonte do anjo caído – uma fonte polêmica por ser possivelmente a única na qual representa o diabo.

Detalhe para o Anjo caído no momento da queda. O artista abusou da dramaticidade. Pode-se observar a serpente que enrola-se nele, é a mesma que enganou Eva no paraíso.

Detalhe para o Anjo caído no momento da queda. O artista abusou da dramaticidade. Pode-se observar a serpente que enrola-se nele, é a mesma que enganou Eva no paraíso.

 

10 – Saída do Jardim

Após esta última fonte, siga caminhando pelo Paseo Fernán Nuñes. Saia do Parque ao lado do Observatório Real de Madrid e atravesse a Calle de Afonso XII, pegando a Calle Claudio Moyano. Observar ao lado direito vários quiosques de livros usados à venda por uma pechincha…  Continue até a Estação Atocha, na Plaza del Imperador Carlos V.

Plaza del imperador  com a Estação de Trem Atocha. Fim do nosso passeio...

Plaza del Imperador Carlos V com a Estação de Trem Atocha. Fim do nosso passeio…

Tivemos que dar um pulinho em seu interior para ver um jardim dentro da Estação (vale a pena visitar).

Um Oásis dentro de uma estação de trem, algo inusitado que só vemos em Madrid.

Um Oásis dentro de uma estação de trem, algo inusitado que só vemos em Madrid.

Espero que tenham gostado e aproveitado as dicas. E se você ainda tiver pique, dê um pulinho no Museu de Arte Reina Sofía e dê um oi para Picasso, admirando sua mais famosa obra – o Guernica. Estávamos mortos mas curtimos muito o museu…

Segue o mapa do nosso percurso:

Se não conseguir vê-lo clique aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: