Perrengues de viagem – dessa vez superamos!

O que fazer quando você programa por meses uma viagem, dando conta de cada detalhe e na chegada do tão esperado dia alguns imprevistos podem jogar sua viagem toda por água abaixo? Descubra como a compra do seu bilhete de viagem, um simples atraso de avião, ou outros perrengues podem aparecer inesperadamente pelo seu caminho e o que fazer para contornar esses problemas… Dessa vez superamos! Até um furacão apareceu na nossa frente…

Como encarar os perrengues de viagem..

Como encarar os perrengues de viagem.. Cada viajante tem um história para contar…

Tudo começou na programação da nossa última viagem. Nem postamos sobre ela pois curtimos tanto que ficou tão difícil de arrumar algum tempo para publicar algo, não sabemos nem por onde começar. Dessa vez decidimos ir a um lugar que os brasileiros adoram mas que éramos resistentes a ir por certo preconceito, afinal, o que dois marmanjos iriam fazer na Disney sem crianças? Quanto engano! Curtimos tanto que nos tornamos essas crianças…

Um simples atraso, um grande susto

Toda vez que víamos alguém reclamar de atrasos de companhias aéreas e os problemas que vinham em seguida pensávamos, como somo sortudos… Atrasos curtos já havíamos pegado, mas dessa vez fomos pegos de surpresa.

Partimos de Vitória, nossa cidade, rumo ao Rio de Janeiro, onde seguiríamos viagem para os EUA. Nossa porta de entrada seria Houston e de lá seguiríamos viagem para Orlando. Chegamos por volta de 17h e nosso vôo internacional seria por volta das 22h. A surpresa veio quando chegamos no balcão de check-in e nos informaram que havia um atraso para às 05h do dia seguinte. Que susto! Ainda bem que nossos vôos estavam todos reservados em um único bilhete, pois não daria mais para pegar o vôo Houston-Orlando, assim, fomos remanejados para outro avião.

Exaustos mas não derrotados entre uma conexão e outra.

Exaustos mas não derrotados entre uma conexão e outra.

E agora? O que fazer em 12 horas dentro de um aeroporto? E ainda encarar a madrugada? Ainda bem que nossa companhia, a United, foi solícita e nos acomodou em um hotel próximo ao aeroporto oferecendo, inclusive, jantar.

A chegada em Houston, enfim nos EUA!

A chegada em Houston, enfim nos EUA!

Aqui vale fazer uma pausa para uma observação –  Como a maioria dos brasileiros, resolvemos aproveitar a viagem para renovar o nosso guarda-roupas. E o pensamento que vem sempre é o seguinte: não levaremos roupas já que vamos comprar lá. Não cometam esse erro! Apesar de já termos viajado muito, caímos na tentação de economizar espaço de bagagem e, para piorar, cometemos o pecado de não dar importância nas mudas de roupa extra na bagagem de mão, havíamos colocado apenas duas mudas para cada, porém despachamos as bagagens… Pagamos caro por isso!

Tivemos que ir ao hotel, tomar banho e vestir as mesmas roupas… Tentamos deitar e descansar um pouco, mas três horas da manhã já tivemos que cair da cama e pegar o ônibus da companhia para o aeroporto.

A compra dos bilhetes

Tivemos nossos direitos garantidos pois compramos toda a viagem em apenas um bilhete. Para quem não reside em grandes centros às vezes consegue promoções partindo de Rio ou SP e esquece que se por algum motivo não conseguir chegar a tempo, pode-se ter dor de cabeça ou simplesmente perder toda sua viagem. Nesse caso, compramos todo os trechos em apenas um bilhete. Assim, se há algum atraso ou cancelamento de um dos trechos, os subsequentes são obrigatoriamente garantidos, o que não teria acontecido se houvéssemos comprado os trechos separadamente. A franquia de bagagens também só é garantida em todos os trechos forem comprados em apenas um bilhete, como uma única viagem. Portanto, às vezes aquela promoção pode sair bem cara se sua viagem tiver muitos trechos… Fica a dica!

Voos garantidos pela United pois compramos tudo em apenas um bilhete.

Voos garantidos pela United pois compramos tudo em apenas um bilhete.

Ufa, uma etapa vencida… Mas o pior viria a seguir…

A briga por um carro

Vôo tranquilo às 06 da manhã, imigração e conexão em Houston sem problemas. Chegando em Orlando às  17h, quando deveríamos ter chegado às 12h,  fomos à locadora de veículos.

Agora sim estamos em Orlando, respiramos mais aliviados quando vimos essa parede... Nem acreditamos que havíamos conseguido chegar lá.

Agora sim estamos em Orlando, respiramos mais aliviados quando vimos essa parede… Nem acreditamos que havíamos conseguido chegar lá.

Os melhores e mais espaçosos veículos da classe que havíamos reservado já haviam sido alugados, sobrando apenas aqueles menos espaçosos. Lá funciona assim, você não aluga um carro de tal marca, mas sim uma classe de carros, e  quando for pegá-lo é só escolher os disponíveis da classe escolhida…

O setor da Álamo no estacionamento do aeroporto, eu queria aquele amarelinho mas a esposa brecou na hora, não caberia nenhuma das necessáires dela...

O setor da Álamo no estacionamento do aeroporto, eu queria aquele amarelinho mas a esposa brecou na hora, não caberia nenhuma das necessáires dela…

Quase tivemos que sair nos tapas com outros brasileiros que estavam de olho no único Captiva, o mais espaçoso dos que haviam sobrado, os demais eram carros com bagageiros ridículos, que mal cabiam duas malas médias… Pelo menos obtivemos uma vitória!!! Minha esposa pulou dentro dele antes que chegassem. Dessa vez nosso número de malas reduzidas, e bem leves, contribuíram…

Gostamos muito do carro apesar de não ter sido nossa primeira opção. Para consegui-lo quase rendeu uma luta corpo-a-corpo.

Gostamos muito do carro apesar de não ter sido nossa primeira opção. Para consegui-lo quase rendeu uma luta corpo-a-corpo.

Atordoados, cansados e um pouco fedidos, demoramos mais uns quarenta minutos para tentar entender os comandos do carro e seguimos viagem para o hotel – mais uma hora de viagem…

E agora, estamos definitivamente sem roupas?

De repente, lembramos de algo. Nossa programação contava com uma visita ao outlet já nessa tarde perdida, pois no dia seguinte já tínhamos parque para visitar e, com o atraso, não daria mais para correr atrás de roupas… Ainda bem que resistimos a tentação de não trazer nenhuma muda de roupa, mas tinhamos um estoque baixo, apenas para dois dias… Esse quase foi um problema, pois somente conseguimos ir ao outlet no terceiro dia, quando a única muda de roupa limpa era a do corpo…

E havia um furacão no meio do caminho…

Dessa vez tivemos muitas emoções, antes fossem apenas as das montanhas-russas ou brinquedos radicais nos parques, mas dessa vez sentimos estar no meio de Twister, um filme muito reprisado nas sessões da tarde.

Acordamos um pouco tarde para repor as energias e fomos tomar café no hotel. Até então já estávamos recuperados do dia anterior. Foi quando olhei pela janela que realmente acordei de súbito: escuro como se não houvesse amanhecido, árvores sendo chacoalhadas brutalmente de um lado ao outro, chuva torrencial, raios e trovões que há muito tempo não havia visto igual… Não acreditei que aquele dia de parque ia por água abaixo…

Terminado o café fui correndo ao quarto ligar a tv no canal do tempo, algo que os norte americanos costumam usar muito. Não acreditei quando a tv parava de minuto em minuto com uma noticia no rodapé: Aviso de Tornado para Sua Região!!! Como assim???

Aviso de tornado em nossa área... Quase que a vaca foi pro brejo, ou melhor, passou voando...

Aviso de tornado em nossa área… Quase que a vaca foi pro brejo, ou melhor, passou voando…

Primeiro tentei ver se havia traduzido corretamente palavra por palavra. Depois pensei: como eles sabem onde estou? O aviso mostrava que até as 11h30 havia grande possibilidade de formar-se um tornado na região dos parques Seaworld e Universal (o que estava programado para aquele dia) até a área de Lake Buena Vista, bem onde estávamos hospedados.

Reforçavam o aviso de que deveríamos ficar longe de janelas, de preferência dentro do banheiro ou debaixo de mesas, protegidos por travesseiros… Abri um pouquinho as cortinas e vi o mundo se acabando lá fora, decidi ir à recepção para confirmar se aquilo era verdade mesmo, se daqui a alguns instantes veríamos vacas voando…

O nosso hotel e o parque estavam dentro do quadrado, em Lake Buena Vista...

O nosso hotel e o parque estavam dentro do quadrado, em Lake Buena Vista…

No corredor, encontrei quase todos os hóspedes do hotel sentados no chão, por ser considerado o lugar mais seguro do hotel… A camareira que passava ali tentou me explicar calmamente em espanhol que o que estava acontecendo era muito comum e que deveríamos ficar por ali… Mas eu tinha um parque para visitar!!! Aos poucos fomos nos acostumando com a idéia que aquela viagem não era para acontecer, afinal, tudo estava dando errado!!!

Duas horas depois a tempestade perdeu força e, enfim, conseguimos sair para tentar curtir o resto do dia no parque Universal Studios, entre períodos de pancadas de chuva e estiagem, compramos capas de chuva  e aproveitamos o parque que estava bem vazio por conta da chuva… A partir daí começamos a aproveitar a viagem que se tornou uma das melhores que já fizemos e que aos poucos vamos postando… Não deixe de acompanhar!

O melhore de um parque em dia de tornado... Vazio!!!

O melhor de um parque em dia de tornado… Vazio!!!

Assim, não adianta sentar e chorar, mas sim saber lidar, e por que não, curtir os perrengues que surgem durante sua viagem, pois por mais organizado que você seja, saiba que eles virão, basta apenas viajar que eles estarão lá para te provar…

Nem chuva, nem tornado foram capazes de nos deter!!!

Nem chuva, nem tornado foram capazes de nos deter!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários sobre “Perrengues de viagem – dessa vez superamos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: