Um dia inteiro no SeaWorld – nosso roteiro

Hoje iniciaremos uma série de posts sobre os parques de Orlando. Nada de Mickey Mouse ou Harry Potter para começar a série! Nosso personagem especial trata-se de uma baleia orca que lembra muito o filme Free Willy, que já vimos durante toda adolescêcia. Nesse paque, ao invés de Willy, temos a Shamu (ou melhor, as “Shamus”). O SeaWorld é um parque aquático inaugurado na terra do Mickey Mouse em 1973 com intuito de proporcionar o contato de seus visitantes com a vida marinha, sem deixar de trazer a diversão de parques temáticos, marca registrada de Orlando.

Shamu, a baleia orca do Seaworld.

Shamu, a baleia orca do SeaWorld, no show One Ocean.

Visitando o parque

Chegamos cedo para curtir ao máximo a visita, aproveitamos a manhã toda e acabamos por sair no meio da tarde por não visitar algumas atrações que tínhamos medo (as montanhas-russas em específico). Se você é daqueles que vai em tudo, um dia inteiro reservado para o parque já está de bom tamanho – há quem faça todo o SeaWorld em meio dia, mas não recomendamos por ficar um pouco corrido.

Quando ir?

Assim como os parques da Disney, o SeaWorld tende a lotar nos meses de férias escolares norte-americanas e as brasileiras também, afinal, estamos invadindo Orlando! Em início de Janeiro, Junho, Julho e final Dezembro é bem movimentado, mas nos demais meses é só curtição.

A entrada do parque, muitas surpresas lá dentro...

A entrada do parque, muitas surpresas lá dentro…

Nosso roteiro das atrações

O parque é para todas as idades. Há brinquedos, shows, montanhas-russas e áreas de descanso que fazem você esquecer o tempo muito fácil. Há eventos especiais em certas épocas do ano e que podem ser comprados à parte, mais informações no site deles. Se quiser acompanhar nossa rota pelo mapa oficial, clique aqui.

A bilheteria, caso deixe para comprar os ingressos lá ou para pegar informações.

A bilheteria, caso deixe para comprar os ingressos lá ou para pegar informações.

Começamos estacionando o carro e lembrando de tirar foto do local para não perder o mesmo. Isso parece absurdo, mas é fácil esquecermos onde estacionamos diante de tantos carros. Na Disney então nem se fala! Até com foto eu quase perdi nosso carro…

Sempre tirem foto do local que estacionou seu veículo, ajuda bastante na volta...

Sempre tirem foto do local que estacionou seu veículo, ajuda bastante na volta…

Valeu a pena pagar um pouquinho a mais pelo estacionamento vip (20 dólares, no total com taxas), que fica na porta do parque, vá por nós, você não vai querer andar um estacionamento gigante no final de um dia inteiro no parque! Passamos pela entrada e ativamos nossos ingressos que compramos no Brasil e levamos impressos no dia. Com um mapa em mãos, disponível na entrada do parque, seguimos marcando as atrações que gostaríamos de ver e a sua ordem, para não perder nenhum dos shows com hora marcada (não esqueça de conferir os horários das apresentações do dia no folheto que entregam)…

A entrada, comemorando os 50 anos do parque.

A entrada, comemorando os 50 anos da organização.

Aproveitamos para assistir logo ao primeiro show da Shamu, o One Ocean, no Shamu Stadium, por garantia, caso estivesse lotado iríamos ver nos outros horários.

Um show emocionante que por si só já vale a visita ao parque.

Um show emocionante que por si só já vale a visita ao parque.

Para nossa surpresa, o show estava começando naquele momento e liberaram cadeiras vip que não foram preenchidas para quem estava chegando em cima da hora. Que sorte! Pegamos as cadeiras bem no meio da platéia, de frente ao aquário.

O melhor show do parque, One Ocean, com a Baleia Shamu.

O melhor show do parque, One Ocean, com a Baleia Shamu.

A melhor vista do show, bem no meio da platéia.

A melhor vista do show, bem no meio da platéia.

Assistindo ao show, que dia inesquecível! Parece que estamos no cantinho da platéia, mas na verdade é tão gigante que ali era o meio do Samu Stadium...

Assistindo ao show, que dia inesquecível! Parece que estamos no cantinho da platéia, mas na verdade é tão gigante que ali era o meio do Samu Stadium…

A cada comando dos treinadores, uma resposta da Samu, incrível!!!

A cada comando dos treinadores, uma resposta da Shamu, incrível!!!

Neste espetáculo as baleias Shamus (isso mesmo, é mais de uma!) encantam a platéia com seus mergulhos e saltos e dão banho nos que sentam mais em baixo… Portanto, se não quiser se molhar, sente nas cadeiras mais acima, vimos uma dondoca esperneando pois não foi avisada e a chapinha foi para o espaço! (que coisa feia!).

Dando um banho naqueles que insistem em sentar pertinho, uma dica, leve uma capa de chuva para não sair encharcado.

Dando um banho naqueles que insistem em sentar pertinho, uma dica, leve uma capa de chuva para não sair encharcado.

Saímos maravilhados de lá e seguimos para o Wild Arctic, área onde você pode ver os mamíferos do Ártico: as baleias belugas, focas, o urso polar e as morsas… Há um simulador de helicóptero sobre o ártico que é imperdível! Crianças se divertem nesse lugar, há lojinha com os bichinhos de pelúcia à venda!

Lojinhas do  Wild Arctic.

Lojinhas do Wild Arctic.

Resolvemos continuar o passeio fazendo uma visitinha ao território dedicado aos baixinhos, o Shamu’s Happy Harbor, deu vontade de virar criança aqui, onde há carrossel, montanha-russa infantil, e outros brinquedos totalmente dedicados para os pequenos, aqui não há altura mínima para entrar e os pais podem participar também!

O cantinho da criançada, não deixe de levar os pequeninos...

O cantinho da criançada, não deixe de levar os pequeninos…

Em seguida, no Sea Garden, seguimos observando animais sendo expostos, vimos um bicho-preguiça abraçado à guia que explicava as características do mesmo e podíamos fazer carinho nele, aves como a águia, símbolo dos EUA, e outros animais exóticos também estavam sendo expostos, as crianças surtavam! Dali fizemos uma pausa para ir ao banheiro no Terrace Garden Buffet, onde você poderá reabastecer as energias se estiver com fome…

Os lindos jardins do Sea Garden

Os lindos jardins do Sea Garden

Um lugar tranquilo no meio do parque, o Sea Garden.

Um lugar tranquilo no meio do parque, o Sea Garden.

Vendo um bicho preguiça de perto

Vendo um bicho preguiça de perto

Uma águia também encanta os visitantes.

Uma águia também encanta os visitantes.

Dali há o Nautilus Theater, onde havia a apresentação A’lure – The Call of the Ocean, que lembra o Cirque du Soleil – não estava tendo na época que fomos. Observação – essa atração foi cancelada em 2015.

Seguimos então, contornando a lagoa, e chegamos ao restaurante que adoramos almoçar. Sem dúvida foi a melhor experiência do parque. Imagine você almoçando em um aquário imenso de tubarões! Isso mesmo, o Sharks Underwater Grill valeu tanto a pena que ganhou seu próprio post.

Um almoço bem diferente com os tubarões...

Um almoço bem diferente com os tubarões…

Reabastecidos e prontos para continuar, seguimos até o Sea Lion & Otter Theater, um lugar que costuma ter apresentações incríveis com leões marinhos e focas, mas pena que também estava fechado para reformas, entretanto, o tanque com os leões marinhos está lá nos fundos do teatro para você observar essas criaturas lindas.

Ali perto há uma casinha que possui uma aquário enorme e que, em certos horários, há apresentação de mergulhadores no local, eles pescam uma ostra que você escolher no fundo do aquário, daí você a leva até uma senhora que com uma faca bem afiada consegue abrir o molusco até que – voilá – num passe de mágica, brota uma linda pérola de dentro da mesma… Como o norte-americano sabe agradar o turista!

Um show de mergulho...

Um show de mergulho…

Abrindo a ostra...

Abrindo a ostra…

A vontade era de pegar um monte e levar para a lojinha, onde confeccionam a jóia que você escolher com aquela pérola (brincos, anéis, quem sabe um colar) mas pagando, é claro.  Ou, se preferir, leve sua pérola sem nenhum anel ou brinco grudado, apenas como recordação. Como a fila estava muito grande, desistimos de levar a nossa, mas da próxima levaremos.

A pérola na ponta da faca...

A pérola na ponta da faca…

Não desanimados, corremos para a atração que estávamos loucos para conhecer, o Antactica: Empire of the Penguin. Enfrentamos uma fila considerável de espera de 30 minutos. O que tem de especial? Nessa atração você poderá conhecer um pouco mais sobre a vida dos pinguins da Antártida em um brinquedo muito legal. Há duas opções de passeio, poderá entrar na fila dos carrinhos com emoção ou na dos sem rodopios… Escolhemos o emocionante, que confesso, nos deixou um pouco nauseados de tantos rodopios e solavancos. O final da atração é que costuma ser muito emocionante: você acaba por ser transportado à Antártida, então leve um casaco pois você entrará em um ambiente climatizado para os 245 pinguins de seis espécies ficarem bem confortáveis (estamos falando de -1°C). Aqui os intrusos éramos nós, pena que não aguentamos ficar muito tempo tietando os bichinhos e partimos para a próxima.

Antarctica Empire of The Penguins.

Antarctica Empire of The Penguin.

Entrada para a atração, muito disputada, 30 minutos de espera.

Entrada para a atração, muito disputada, 30 minutos de espera.

O início da aventura.

O início da aventura.

Um video sobre o dia a dia de um pinguim na Antártida, com ou sem emoção, qual você vai escolher?

Um video sobre o dia a dia de um pinguim na Antártida, com ou sem emoção, qual você vai escolher?

Os pinguins bem confortáveis a -1ºC.

Os pinguins bem confortáveis a -1ºC.

Os pinguins no frio de congelar, você entrad dentro do habitat deles.

Os pinguins no frio de congelar, você entra dentro do habitat deles.

Agora entramos no Dolphin Theater, para o show Blue Horizon (dos golfinhos e aves), a tempo de achar cadeiras nem tão longe e nem tão perto do áquario (sim, assim como a Shamu, eles também dão banho na platéia que senta perto do aquário).

O Dolphin Theater, onde ocorre o show Blue Horizon.

O Dolphin Theater, onde ocorre o show Blue Horizon.

Gostamos muito da apresentação que envolve acrobacias, araras coloridas, algumas aves marinhas e os bonitinhos golfinhos!!! Ao contrário do One Ocean, o show da Shamu, no Blue Horizon os treinadores entram na água – antigamente o da Shamu também era assim mas, após um acidente fatal com uma das treinadoras, o show das baleias ficou por conta apenas das baleias…

Um belo show com os golfinhos...

Um belo show com os golfinhos…

Com direito a acrobacias...

Com direito a acrobacias…

Com direito a araras coloridas sobrevoando o Teatro.

Com direito a araras coloridas sobrevoando o Teatro.

E mais golfinhos...

E mais golfinhos…

E um belíssimo Grand Finale...

E um belíssimo Grand Finale…

Profissional se preparando para entrar com as aves no show Blue Horizon, um cuidado imenso com os animais...

Profissional se preparando para entrar com as aves no show Blue Horizon, um cuidado imenso com os animais…

Próxima parada, ai caramba, será que dará tempo? Foi uma correria, mas deu sim. Saimos voando do show dos golfinhos para ir ao Dolphin Cove, onde conseguimos alimentar os golfinhos!!! Como assim? Aguarde e verá em um post somente sobre essa experiência inesquecível que tivemos no SeaWorld.

Alimentado os golfinhos no Dolphin Cove.

Alimentado os golfinhos no Dolphin Cove.

O berçário dos golfinhos...

O berçário dos golfinhos…

Perto dali há a TurtleTrek, a mais nova atração 3D do SeaWorld. Enquanto aguarda na fila você poderá curtir aquários com peixes-boi (ou manatees) e tartarugas marinhas, inclusive uma tartaruga foi resgatada com o casco danificado por motor de barco e estava lá nadando tranquilamente…

Um imenso aquário de peixes e tartarugas.

Um imenso aquário de peixes e tartarugas.

O peixe-boi, ou manatee

O peixe-boi, ou manatee

Depois de entrar na sala de reprodução do video, todos se acomodam numa sala circular com os óculos 3D e assistem a um filme na tela (ocupando os 360° da cúpula) que representa a vida de uma tartaruga desde o nascimento até sua vida adulta, é incrível a sensação que temos enquanto a tartaruguinha tenta sair do buraco ou quando encontra os predadores naturais, você se sente vendo através dos seus olhos…

A guia explica o que acontecerá na sala de cinema, uma sala circular onde o filme é projetado na cúpula.

A guia explica o que acontecerá na sala de cinema, uma sala circular onde o filme é projetado na cúpula.

A tartaruguinha que acabou de nascer está saindo do buraco.

A tartaruguinha que acabou de nascer está saindo do buraco (imagem de filme em 3D).

Muitos obstáculos ela encontrará até sua vida adulta.

Muitos obstáculos ela encontrará até sua vida adulta. (imagem de filme 3d)

Voltamos em direção à entrada do parque e passamos pela Stingray Lagoon, ou Lagoa das Arraias, onde você poderá alimentar ou tocá-las. Seguimos para a saída do parque pois já estávamos exaustos, mas antes, pausa para comprinhas de souvenires

A Stingray Lagoon.

A Stingray Lagoon.

As arraias na Stingray Lagoon.

As arraias na Stingray Lagoon.

As lojinhas

E o que falar das lojinhas? Como todo parque temático que se preze, nem só de ingresso eles arrecadam fundos, mas também das inúmeras lojinhas e barraquinhas que vendem de tudo no quesito souvenires. Aqui devemos ter muito auto-controle para não carregar o parque todo.

Uma das lojas do parque, de frente ao Antarctica.

Uma das lojas do parque, de frente ao Antarctica.

Outra barraquinha de souveniers, dá uma vontade de levar tudo!

Outra barraquinha de souveniers, dá uma vontade de levar tudo!

Deixamos para fazer as compras de souveniers nessa lojinha da entrada, para não ficar carregando as compras pelo parque todo...

Deixamos para fazer as compras de souveniers nessa lojinha da entrada, para não ficar carregando as compras pelo parque todo…

Decorada para o Natal a lojinha encantava ainda mais...

Decorada para o Natal a lojinha encantava ainda mais…

Quem conhece o parque percebeu que pulamos intencionalmente três grandes atrações, as mais radicais do parque, pois preferimos deixá-las para o Grand Finale (apenas do post e não do passeio, porque não entramos nelas nem mortos!).

As Atrações Radicais

Aqui você também encontra atrações de tirar o fôlego. Não precisamos dizer que nem chegamos perto, né? (mesmo assim, não deixamos de curtir muito o parque). Agora, se velocidade, altura e adrenalina te agradam, não deixe de ir várias vezes nelas!

A Journey to Atlantis é a primeira montanha-russa molhada do mundo, na qual você descerá alucinadamente 20 metros de queda bem molhada. Para nós, nem pensar chegar perto disso!

Journey to Atlantis, primeira montanha-russa aquática.

Journey to Atlantis, primeira montanha-russa aquática.

A queda da Journey to Atlantis.

A queda da Journey to Atlantis.

A Kraken, em homenagem à figura mitológica de um monstro marinho, é a única montanha-russa sem piso de Orlando. Se você tiver estômago para encará-la, saiba que atingirá 105km/h com os pés balançando soltinhos no ar. Considera-se ser uma das dez melhores montanhas-russas do mundo!

Kraken, o monstro marinho.

Kraken, o monstro marinho.

Você teria coragem?

Você teria coragem?

Manta, essa sim é uma montanha-russa de loucos! Você faz todo o trajeto como se estivesse voando na barriga de uma arraia, praticamente deitado e de barriga para baixo sofre uma queda de 34 metros e, abaixo de você, um aquário gigante com arrais, peixes e polvos. Até a foto me arrepia!

Tivemos tanto medo dela que esquecemos de tirar uma foto, mas dá para sentir como ela é nessa foto daí.

Tivemos tanto medo dela que esquecemos de tirar uma foto, mas dá para sentir como ela é nessa foto borrada.

Outras atrações não vistas

Outras duas atrações que pulamos mas que valem a pena se tiver tempo:

Pets Ahoy! –  um show hilário com cachorros, gatos, ratos, aves e até porcos adestrados.

Sky Tower – uma torre com mais de 120 metros que serve como mirante para admirar todo o parque bem do alto, a depender do tempo dá para ver bem longe…

Sky tower - um mirante do parque.

Sky tower – um mirante do parque.

 

Comidinhas e Restaurantes

Aqui temos uma dica muito valiosa, deixamos para almoçar num lugar muito especial, como dissemos, gostamos tanto que fizemos um post somente para ele, o Sharks Underwater Grill.

Um restaurante que adoramos, o Shaks Underwater Grill

Um restaurante que adoramos, o Shaks Underwater Grill

Mas além de vários restaurantes, o parque conta também com quiosques para lanches rápidos e delícias, como o Polar Parlor, onde provamos um delicioso sorvete, mesmo em dia chuvoso…

Mesmo em dia de chuva, um sorvetinho caiu muito bem...

Mesmo em dia de chuva, um sorvetinho caiu muito bem…

Outras informações

Se você estiver viajando com seu pet, poderá deixá-lo na entrada, eles tem um setor que cuida do seu bichinho enquanto você se diverte no parque, mediante uma simplória taxa. Mas tem que leva a comida do seu pet se for para alimentarem ele.

Você poderá alugar também na entrada do parque: carrinhos de bebê, rádios walkie-talkies, cadeiras de rodas e armários para guardar volumes.

Com certeza o parque prima pela vida animal e num mundo que tem tomado um rumo de desenvolvimento desenfreado e egoísta, organizações como esta, mesmo que tenha fins lucrativos, conseguem transmitir a mensagem da necessidade de preservação da vida animal aos seus visitantes e, quem sabe, contribuam para um futuro melhor.

Crianças observam curiosas um peixe diferente.

Crianças observam curiosas um peixe diferente.

Esse parque nos emocionou bastante e, sem dúvida, não pode deixar de ser acrescentado ao seu roteiro quando for visitar Orlando. E você, já curtiu esse parque? Gostaria de deixar uma observação ou um comentário ou uma dica que não colocamos? Não deixe de comentar aqui em baixo!

As Shamus dando um adeus para a platéia, mas a vontade nossa é que seja um até breve!

As Shamus dando um adeus para a platéia, mas a vontade nossa é que seja um até breve!

Parque SeaWorld Orlando
7007 Sea Harbor Drive
Orlando, FL 32821
1-888-800-5447
Estacionamento Vip: US$ 20,00 (já incluídas taxas)
Estacionamento comum: US$ 14,00 motos e carros
US$ 18,00 vans
Aberto – 09h-18h e alguns dias até as 19h.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários sobre “Um dia inteiro no SeaWorld – nosso roteiro

  1. Pingback: Por que eu deveria ir à Disney? - Já fomos

  2. Pingback: Alimentando os golfinhos no SeaWorld de Orlando - Já fomos

  3. Pingback: Almoçando com os tubarões no SeaWorld, Orlando - Já fomos

  4. Giselle

    Estava ansiosa por esse posts de Orlando!!! Queria esclarecer uma dúvida. Vcs compraram os ingressos aqui no Brasil ainda? Onde? Ansiosa por outros váriosssss posts….

    1. MaeMy Autor da Postagem

      Oi Giselle, que bom que gostou do post!
      Quanto aos bilhetes, nós compramos no próprio site do Seaworld com cartão internacional. Imprimimos daqui de casa os bilhetes e levamos no dia.
      Abraços.

Deixe uma resposta para Giselle Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: