Veneza – um passeio de gôndola

Um certo dia lemos em algum blog que ir a Veneza e não passear de gôndola é não ir a Veneza. Essa afirmação tem certa verdade. Mas vamos contar nossa experiência pessoal com o meio de transporte mais famoso da mais famosa cidade do Vêneto neste nosso terceiro episódio da série de posts da Viagem à Itália e Holanda. Este é um post diferente dos que vínhamos fazendo e, futuramente, faremos outro com as super atrações da cidade.

Um passeio de gôndola. Ir à Veneza sem fazer esse passeio é não experimentar Veneza por completo...

Um passeio de gôndola. Ir à Veneza sem fazer esse passeio é não experimentar Veneza por completo…

As gôndolas de Veneza… Para qualquer lugar que você olhe, com certeza verá uma dessas passeando graciosas pelos canais, o que torna Veneza uma cidade mais charmosa e com certo ar de surreal… Apesar de poder carregar até seis pessoas, o interessante mesmo é embarcar num passeio apenas o casal e curtir um dos passeios mais românticos de sua vida…

Mas o que seria uma gôndola?

A embarcação no museu do Palazzo Ducale - antigamente era coberta, mas por esconder facilmente criminosos ou favorecer encontros amorosos foram proibidas as gôndolas com cobertura...

A embarcação no museu do Palazzo Ducale – antigamente era coberta, mas por esconder facilmente criminosos ou favorecer encontros amorosos foram proibidas as gôndolas com cobertura…

Acho difícil você nunca ter ouvido falar ou visto alguma na televisão. Este ícone veneziano é uma embarcação específica que, até a criação do barco motorizado, foi a embarcação mais adaptada para o transporte humano em Veneza, devido suas características únicas de seu formato, que conferem um ótima manobrabilidade e velocidade.

Um ponto de gôndolas em pleno Grand Canal, embarcações que antes serviam apenas como meio de transporte, hoje ganhou ares de romantismo...

Um ponto de gôndolas em pleno Grande Canal, embarcações que antes serviam apenas como meio de transporte, hoje ganhou ares de romantismo…

O formato delas é bem diferente, o lado esquerdo é mais largo que o direito, por questões de distribuição de peso, já que o gondoleiro vai em pé de um lado da embarcação. Ela também é cheia de símbolos, como a sua proa, que possui seis “dentes” voltados para frente representando os seis sestieri (bairros) de Veneza e o sétimo dente, voltado para trás, representando a ilha de Giudecca.

Um gondoleiro manobra sua gôndola para entrar em um canal. Vale usar seu remo ou usar o pé para impedir de bater nas paredes das casas...

Um gondoleiro manobra sua gôndola para entrar em um canal. Vale usar seu remo ou usar o pé para impedir de bater nas paredes das casas…

Em pé nela fica um condutor, o gondoleiro e seu remo. Aqui vale uma pausa para quebrar dois mitos:
O primeiro mito é que, apesar do que muitos acreditam, a vara que o gondoleiro segura é um remo e não toca o fundo dos canais, que são muitas vezes, bem profundos… Segundo mito a se quebrar: os gondoleiros nem sempre cantam, ainda mais a música Ó sole mio… Alguns arranham algumas vezes, outros assobiam, outros apenas conduzem a embarcação… Não vá com expectativa de uma experiência musical!!!

Nada de Ó Sole mio, mas mesmo assim o passeio não deixa de ser romântico...

Nada de Ó Sole mio, mas mesmo assim o passeio não deixa de ser romântico…

Para conseguir um passeio desses você tem que apresentar três coisas: coragem, paciência e dinheiro!!!

Em alta temporada, quando fomos, eles são bem requisitados, podendo haver até engarrafamento nos canais em horários de pico… E costumam cobrar um valor padrão, geralmente custa €80,00 por uma voltinha de quarenta minutos. Em baixa temporada vale até pechinchar… Por volta das 19h o passeio aumenta o valor e fica difícil conseguir por menos de €100,00. Deu vontade até de largar a Medicina e virar um gondoleiro… Eu até cantaria Ó sole mio e faria o maior sucesso, rsrs.

Um pequeno engarrafamento nos canais de Veneza, muitas gôndolas...

Um pequeno engarrafamento nos canais de Veneza, muitas gôndolas…

Para conseguir o seu passeio vá a um dos pontos principais, na Piazza San Marco ou Ponte Rialto. Por dentro dos sestieri (bairros) também há pontos porém em alta temporada quase saímos no tapa para conseguir um… Vale lembrar que os gringos idosos têm a preferência, mesmo que você esteja esperando a uma hora e eles acabado de chegar…

Ponto de gôndolas na Piazza San Marco, muitas gôndolas...

Ponto de gôndolas na Piazza San Marco, muitas gôndolas…

Agora outra dica fundamental, se puder escolher, evite o Grande Canal e, principalmente a àrea em frente a Riva degli Schiavone. O motivo: os pequenos canais são calmos e tranqüilos, já os grande canal ou a lagoa, são mais violentos devido as embarcações maiores fazerem marolas ou ondas, ainda mais em tempo de ventania, que é muito comum na Riva deli Schiavone…

Nosso passeio de gôndola foi marcado por muita emoção... Saiba o porquê continuando a ler o texto...

Nosso passeio de gôndola foi marcado por muita emoção… Saiba o porquê continuando a ler o texto…

Sentimos na pele isso em nosso passeio, pois pedimos para o gondoleiro para passar sob a ponte dos suspiros e para isso ele teria que sair de um canal para a lagoa e voltar pela ponte dela Paglia em outro canal. Para nosso infortúnio, no momento que fomos estava tendo uma ventania violenta com ondas bem bravas e, como se não bastasse, para completar nosso desespero, um gigantesco Transatlântico com mais de nove andares resolve passar na nossa frente bem na hora!!! É muito comum eles passarem bem pertinho de lá para que os turistas admirem a Piazza San Marco com sua basílica e o Palazzo Ducale.

De repente as marolas viraram ondas super violentas e os gondoleiros sofreram para não virar suas embarcações… E nós, como pequenas formiguinhas diante daquele monstro, éramos jogados de um lado ao outro, com a água quase entrando na embarcação… Nessa hora minha esposa resolve me lembrar que não sabia nadar!!! (vale lembrar que não existe, ou pelo menos, não nos deram, coletes salva-vidas nas gôndolas – para não estragar as fotos, eu acho). Imagina o pânico, morrer em plena Veneza num passeio de gôndola!!! Pelo menos seria uma morte digna de filme…

No meio do pânico ainda tive tempo de tirar uma foto do monstro marinho que incomodou nosso passeio...

No meio do pânico ainda tive tempo de tirar uma foto do monstro marinho que incomodou nosso passeio…

Pegando o canal da ponte dela Paglia, nossos corações já se acalmando, passamos pela ponte dos suspiros e trocamos aquele beijo, o que é a tradição, para um bom retorno a Veneza (apesar dessa ponte não ter um histórico nada romântico).

Agora podemos dizer que sim, fomos à Veneza e com certeza voltaremos um dia a esta maravilhosa cidade… E não, possivelmente não andaremos mais de gôndola… A não ser que seja para dar voltinhas nos canais mais calmos…

Finalizando o passeio, com certeza a experiência ficou registrada em nossos corações...

Chegando ao final, apesar do contratempo, com certeza o passeio ficou registrado em nossos corações…

Depois dessa experiência, vale a pena conferir nosso próximo post: Conhecendo Verona – a cidade do amor.

Confira também a série de posts já publicados da Série Viagem à Itália & Holanda:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 comentários sobre “Veneza – um passeio de gôndola

  1. Sandra

    Fui na praca San Marco para pegar uma gondola e me ofereceram um passeio normal por 80 euros (durando 30 min) e outro passeio “maior” por 120 euros (durando 40/45 min). Tentei pechinchar, mas o gondoleiro que no começo parecia amigavel depois ficou agressivo e ate saiu de perto resmungando porque nao queria tomar prejuizo. Os outros gondoleiros vieram que nem abutres tentar nos convencer de que era um bom passeio e para fecharmos logo o passeio com o gondoleiro da vez, mas acabamos nao fechando pelo mau humor dele. No meio da praça fomos abordadas por outro gondoleiro que disse que faria ompasseio maior por 80 euros e fechamos com ele. Ele mal explicou sobre a cidade pra gente durante o passeio e durante o caminho vimos outros gondoleiros tambem que mal falavam com seus clientes. O passeio realmente correspondia ao passeio maior, mas o trajeto de 40/45 min na verdade corresponde a ida e volta. Ou seja, so andamos uns 15/20 min da praça San Marco e ja voltamos logo em seguida pelo mesmo caminho (e o trajeto da volta tambem demorou 15/20 minutos). Nao achei que valeu a pena. Acho que passeando a pe por Veneza vale muito mais a pena do que andar de gondola que sinceramente nao achei nada demais e nenhum um pouco romatica como nos filmes e reportagens.

  2. rosangela

    ja estivemos em Veneza mas não andamos de gondola! Voltaremos agora em agosto e desta vez com certeza faremos este passeio.
    Valeu pelas dicas!!

  3. Raiza

    Casal, ri muito com seu relato de quase desespero e morte digna em Veneza. Eu e meu marido chegaremos lá amanhã, obrigada por todas as dicas! Vocês são engraçados!

    1. MaeMy Autor da Postagem

      OLá Janice,
      O valor na época era de 80,00 euros por viagem, independente se levam uma ou mais pessoas.
      Hoje pode ter aumentado um pouco mais.

  4. priscila

    Estou adorando os comentários de vcs! Mas…vendo as roupas que vcs estao utilizando… por favor, em qual data vcs estavam em veneza? Obrigada!

    1. MaeMy Autor da Postagem

      Muito obrigado, Priscila. Estávamos em Veneza em maio do ano passado. Costuma ser um mês agradável com máximas de 25ºC mas pode pegar uma frente fria e chegar a 11ºC. Assim, é bom levar pelo menos um casaco para não passar aperto. A região da Riva delis Schiavone e Piazza San Marco, de frente à Grande Laguna costuma ventar bastante, dando um friozinho… Abraços.

  5. Pingback: O que ver em Milão - um susto e suas maravilhas - Já fomos

  6. Pingback: Conhecendo Veneza 3 - A história de Veneza no Palazzo Ducale - Já fomos

  7. Pingback: Conhecendo Veneza 2 - Curtindo a Piazza San Marco - Já fomos

  8. Pingback: Conhecendo Veneza - A emoção de visitar a cidade - Já fomos

  9. Pingback: Conhecendo Verona - a cidade do amor - Já fomos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: