Visitando o Het Scheepvaartmuseum Amsterdam

Amsterdam possui inúmeros museus, mas um que nos agradou muito e que merece um post só para ele tem um nome bem complicado, o Het Scheepvaartmuseum, ou Museu Marítimo Nacional. Se prepare para mergulhar na história das Grandes Navegações, conhecer um pouco mais do cotidiano dos marinheiros e aprender um pouco mais sobre a era de ouro de um país que já foi considerado uma potência que dominava os Sete Mares.

Fachada do Het Scheepvaartmuseum, ou Museu Marítimo Nacional, em Amsterdam.

Fachada do Het Scheepvaartmuseum, ou Museu Marítimo Nacional, em Amsterdam.

Vamos embarcar? Com certeza esse museu agrada os pequenos, os adultos e aqueles que têm cabelos brancos. Todos vão adorar o passeio!

A entrada do Het Scheepvaartmuseum

Iniciamos o passeio pela entrada principal, entramos direto em um pátio que encanta pelo seu imenso teto de vidro. Fomos ao balcão para apresentar nosso IAmsterdam Card que garantia entrada gratuita no museu. Senão teríamos que desembolsar aproximadamente €15,00 cada. Agora a diversão começava…

O pátio principal com seu teto moderno.

O pátio principal com seu teto moderno.

As exposições ficam ordenadas em três pavilhões de acordo com os pontos cardeais Leste, Oeste e Norte. Ficam distribuídas nos primeiro e segundo andares de cada pavilhão.  A entrada e a parte administrativa do museu ficam no pavilhão Sul.

O Pavilhão Leste (Oost)

Mapa do Pavilhão Leste, destacado de laranja. Para ver o mapa completo, clique aqui.

Mapa do Pavilhão Leste, destacado de laranja. Para ver o mapa completo, clique aqui.

Começamos por aqui, subimos ao primeiro andar e iniciamos o passeio pelos modelos de Yacht, ou iates, que são pequenos barcos.

Os modelos de Yachts históricos, ou pequenos barcos, estão expostos nesta ala.

Os modelos de Yachts históricos, ou pequenos barcos, estão expostos nesta ala.

Dali seguimos para a seção de mapas e atlas marítimos, conhecemos espécimes antigos e encantamos com a cartografia e seus avanços na era das grandes navegações.

Exemplar de livro com mapas históricos utilizados na época.

Exemplar de livro com mapas históricos utilizados na época. Dá para ver a Ásia, a África e Europa.

Esse museu ainda é bem interativo, nele o visitante participa, toca, sente, ouve, vê, enfim, aprende participando! Claro que não nos exemplares históricos, mas muitas vezes em telas. Nesta área poderíamos folhear as páginas de um atlas digitalizado e ver o exemplar ao lado, debaixo de uma proteção de vidro.

Os atlas podem ser folheados pelos visitantes, nas versões digitalizadas, é claro...

Os atlas podem ser folheados pelos visitantes, nas versões digitalizadas, é claro…

Incrível as cores e detalhes dos mesmos.

Mapa mundi do século XVII.

Mapa mundi do século XVII.

Dali, fomos para a seção de Vidros, Pratas e Porcelanas, com obejtos reais que eram trazidos de bem longe para a nobreza.

Um lindo aparelho de jantar de porcelana fica exposto no museu e outras peças de vidro e pratarias.

Um lindo aparelho de jantar de porcelana chinesa e outras peças de vidro e pratarias.

Subindo ao segundo andar, iniciamos pela seção das decorações dos navios, com lindas estátuas de madeira esculpidas e pintadas, que foram replicadas de navios históricos naufragados. Encantam muito.

Enfeites e adornos dos navios, cada um mais pomposo que outro.

Enfeites e adornos dos navios, cada um mais pomposo que outro.

Depois há um salão com todos os instrumentos utilizados pela marinha daquela época. Muito interessante descobrir como os navegadores conseguiam se orientar pelo mundo com essas parafernálias. Nada de GPS, nada de previsão do tempo via satélite, era tudo na coragem e ciência!!!

Modelo de um sextante, instrumento utilizado pelos navegadores para orientar sua navegação através da análise da distância entre astros.

Modelo de um sextante, instrumento utilizado pelos navegadores para orientar sua navegação através da análise da distância entre astros.

Outra área legal foi a das mémórias dos marinheiros. Que conversa de pescador que nada! Aqui você encontra as memórias dos viajantes registradas por fotografias, desde sua invenção a partir de 1850. Aqui você encontra confortáveis sofás para admirar um pouco os álbuns de recordações e diários de viagens de algumas pessoas. Voltamos ao tempo e descobrimos como era o cotidiano daqueles que viajavam pelo mundo sem os grandes aviões de hoje em dia. Tudo era feito meio que de forma artesanal, tipo scrapbooking… Hoje fazemos o mesmo, só que tudo digitalmente…

Os álbuns de fotos, recoradções de marinheiros ou outros viajantes pelo undo afora...

Os álbuns de fotos, recordações de marinheiros ou outros viajantes pelo mundo afora…

Deu uma vontade de pegar as fotos de viagens que fizemos e imprimir tudo!!!

Os álbuns de fotos, recoradções de marinheiros ou outros viajantes pelo undo afora...

Algumas fotos expostas nas paredes e álbuns de fotografias ou diários de viagens para os curiosos verem…

Agora seguimos de volta para os elevadores, mas antes de descer e fazer outro pavilhão, entramos na seção de Pinturas com temas de Navegações holandesas. É de arrepiar pelos detalhes e belezas.

As pinturas que representam a Marinha holandesa. De vários modelos e tamanhos. Uma viagem no tempo!

As pinturas que representam a Marinha holandesa. De vários modelos e tamanhos. Uma viagem no tempo!

Detalhe de uma das grandes pinturas do museu, muito real.

Detalhe de uma das grandes pinturas do museu, muito real.

O Pavilhão Oeste (West)

Mapa do Pavilhão Oeste, destacado de rosa. Para ver o mapa completo, clique aqui.

Mapa do Pavilhão Oeste, destacado de rosa. Para ver o mapa completo, clique aqui.

Agora entramos no pavilhão Oeste direto para a Idade do Ouro, período em que a Holanda chegou ao seu apogeu marítimo.

Essa seção é toda interativa, com hologramas sendo projetados enquanto você faz seu passeio. O único porém é que os personagens ficam falando em holandês, mas dá para entender um pouco ao ler os textos nas paredes em inglês. Descobrimos ali que a Holanda já teve um momento na história que ultrapassava o Reino Unido em número de frota naval.

Seção da Idade de Ouro, mostrando uma época que a Holanda dominava a navegação mundial.

Seção da Idade do Ouro, mostrando uma época que a Holanda dominava a navegação mundial.

Fiquei pensando como seria para nós brasileiros se a Holanda tivesse conseguido se instalar definitivamente no Brasil colônia… Com certeza teríamos palavras bem complicadas, como o nome deste museu.

Seguimos dali para a exposição O rabo da Baleia. Aqui o visitante descobre como os temidos monstros marinhos dos mapas de antigamente passaram a ser perseguidos e dizimados, e o que era aproveitado da matança das baleias.

Os monstros marinhos da cartografia, as baleias têm uma seção especial.

Os monstros marinhos da cartografia, as baleias têm uma seção especial.

Até tentam deixar a história um pouco mais suave para as crianças, com representações mais “bonitinhas”: você pode entrar na boca de uma baleia (da foto abaixo) e ir até seu coração…

A caça às baleias também é retratada neste museu.

A caça às baleias também é retratada neste museu.

Uma sacada que tiveram foi olhar através do olho da baleia diante do seu caçador antes de ser vítima do arpão.

O segundo andar deste pavilhão é meio que uma área interativa que estava em reformas, então não vimos.

O Pavilhão Norte (Noord)

hetsheep002

Agora sim, o pavilhão mais esperado do museu, apesar de ter algumas atrações no interior do prédio, a melhor fica do lado de fora!

Mas antes falaremos sobre as duas atrações internas…

A Port 24/7 é um tipo de simulador no qual você entra dentro de um container que exibe o olhar de um pássaro sobrevoado o porto de Amsterdam. Seguindo dali você verá um pouco sobre o comércio marítimo atual, aqueles containers que vão e vêm pelo mundo afora. Achamos super fraca essa seção.

Produtos comercializados pela via marítima hoje em dia.

Produtos comercializados pela via marítima hoje em dia.

Outra é um cinema no térreo que mostra uma Viagem no Mar numa apresentação durante 25 minutos. Ficamos chateados por não ter conseguido assistir, pois não pegamos a reserva do horário com antecedência e a lotação esgota rápido – tentamos duas vezes e não conseguimos… (fica a dica!)

Agora, o melhor vem a seguir, do lado de fora do museu!!!

O Het Scheepvartmuseum tem uma atração imperdível do lado de fora...

O Het Scheepvartmuseum tem uma atração imperdível do lado de fora…

Trata-se de uma réplica em proporções exatas do AMSTERDAM, um navio da Companhia das Índias Holandesas que naufragou durante uma tempestade.

O Amsterdam, a réplica de um navio que naufragado.

O Amsterdam, a réplica de um navio que naufragado.

Detalhe para os enfeites na popa do navio.

Detalhe para os enfeites na popa do navio.

A parte mais emocionante é que você poderá visitá-lo e descobrir como era por dentro de um navio desses, dá até para sentir um pouco como um marujo…

Todos à bordo!!!

Todos à bordo!!!

Também pudemos ver como era o dormitório dos marinheiros e do capitão. Descobrimos as diferenças de classes dentro do navio, diferenças até na alimentação.

O dormitório da tripulação balançando junto às ondas do oceano...

O dormitório da tripulação balançando junto às ondas do oceano…

Almoço de um humilde marinheiro...

Almoço de um humilde marinheiro…

Gostei mais desse aqui:

Almoço de um grande capitão!!!

Almoço de um grande capitão!!!

Pelo menos a fome não se fazia presente num navio desses, com muito queijo!!!

Estoque de muito queijo holandês para os navegadores Agora sim poderiam encarar uma viagem dessas... Pena que havia concorrência!

Estoque de muito queijo holandês para os navegadores. Agora sim poderiam encarar uma viagem dessas… Pena que havia concorrência!

Outra curiosidade foi o sistema de esgoto do navio, enquanto toda tripulação fazia suas necessidades em baldes e jogava no mar, o capitão, mais uma vez, tinha seus privilégios…

O banheiro do capitão, com uma linda vista para o horizonte.

O banheiro do capitão, com uma linda vista para o horizonte.

Aqui era o vaso sanitário do capitão da embarcação, dali os dejetos caiam nas águas...

Aqui era o vaso sanitário do capitão da embarcação, dali os dejetos caiam direto nas águas…

Também pode-se observar o sistema bélico de navios como este, que travavam verdadeiras batalhas em alto-mar…

Os canhões e as caixas de munição. Dava até para ouvir o som de um tiro de canhão...

Os canhões e as caixas de munição. Dava até para ouvir o som de um tiro de canhão…

Mais do interior do navio...

Mais do interior do navio…

E agora, mais algumas fotos…

Transportados ao passado, uma visita inesquecível ao navio Amsterdam...

Transportados ao passado, uma visita inesquecível ao navio Amsterdam…

Não é um transatlântico, mas seu interior até que havia um bom espaço...

Não é um transatlântico, mas seu interior até que possuia um bom espaço…

Armário com porceladas para o capitão.

Armário com porceladas para o capitão.

Uma cozinha completa dentro do navio...

Uma cozinha completa dentro do navio…

Finalizando o passeio, você poderá seguir caminhando para outro museu, um pouco diferente dos museus comuns de ciências: o NEMO – aproveite se tiver o IAmsterdam Card, pois este museu também é gratuito com o passe.

Quer ver um pouquinho mais do Het Scheepvaart? Olha esse vídeo do You tube que achamos enquanto pesquisávamos sobre o museu.